Instituto Arara Azul realiza monitoramento de ninhos artificiais na Estância Mimosa

Com o início da época reprodutiva, monitores estão confiantes de que as aves ocuparão as casas.

A Estância Mimosa Ecoturismo (Bonito -MS) recebeu no dia 28 de junho a visita de Carlos Cezar Corrêa, técnico do meio ambiente do Projeto Instituto Arara Azul e da bióloga Grace Ferreira da Silva, com o objetivo de vistoriar, e substituir os ninhos artificiais instalados no atrativo, para estimular a postura e choca das aves. 

Na foto: Carlos Cezar Corrêa, técnico do meio ambiente do Projeto Instituto Arara Azul e bióloga Grace Ferreira da Silva.

Parceira do Instituto Arara Azul, o atrativo possui cerca de dez ninhos artificiais do Projeto Arara Azul instalados na sede e também na área da pela Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN). Dois ninhos já foram berços para dois filhotes de arara vermelha e um filhote de arara azul.

Os ninhos artificiais são instalados utilizando técnicas de rapel e fixados no caule de árvores robustas, diminuindo ataques de predadores, oferecendo conforto e protegendo as aves das intempéries climáticas.

“No período reprodutivo passado tivemos filhotes de arara vermelha e de arara azul na região. Este ano estamos trocando estas caixas mais antigas e substituindo por ninhos novos para o período reprodutivo que inicia em julho” contextualiza Grace.

A bióloga revelou ainda que na região de Miranda o Projeto já catalogou o primeiro ninho do período reprodutivo no Pantanal Sul, com um ovo.

“Substituímos cinco ninhos. É muito gratificante você chegar e a arara chegar junto, você ver que ela explorou aquele ninho, deu umas bicadas na madeira, mexeu, aí a gente sabe que elas estão aproveitando. A gente está vendo que as araras estão por aqui e estão chegando também, e isso é um ponto muito positivo” festejou.