Parceria entre Estância Mimosa Ecoturismo e Instituto Arara Azul completa 1 ano

Em setembro de 2019, a Estância Mimosa Ecoturismo, passeio de cachoeiras em Bonito (MS), iniciou a parceria com o Instituto Arara Azul e, por meio dela, 10 ninhos artificiais foram instalados em diferentes locais.

O objetivo da parceria é de que os ninhos sejam utilizados como abrigo tanto para as araras azuis (Anodorhynchus hyacinthinus), bem como de outras como a arara-vermelha e a arara-canindé, além de auxiliar na reprodução das espécies.

Na ocasião, 4 ninhos foram instalados na área da Estância Mimosa e também às margens da Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN. Em outubro foram instalados mais 4 e em novembro de 2019, mais 2 ninhos.

O Instituto Arara Azul compartilhou um relatório sobre as ações e resultados em 1 ano de parceria. Entre os ninhos instalados, destaca-se o “Ninho 2322”, o mais explorado pelas araras azuis no atrativo. “As aves foram fotografadas várias vezes, entrando e saindo do ninho. Entretanto, neste período reprodutivo ainda não ocuparam o local para se reproduzir, mas foi um bom sinal de que as araras da região já encontraram os ninhos e, possivelmente, em anos posteriores poderão ocupar algumas das caixas instaladas”.

Luiza Coelho, Diretora de Sustentabilidade do Grupo Rio da Prata, revela a satisfação em somar esforços em prol da natureza. “Ficamos emocionados quando vemos um trabalho tão difícil e de longo prazo como este do Instituto Arara Azul e do Instituto Arte do Fazer, ações realmente feitas com carinho, amor e dedicação para com uma espécie tão magnífica como a Arara Azul. E o mais legal é ver que os frutos foram colhidos e continuarão sendo. A Estância Mimosa tem registrado aparições de Arara azul, e elas já estão aprendendo a usar os ninhos artificiais. Ficamos muito satisfeitos em contribuir com a natureza, este é o propósito do nosso ecoturismo. Ajudar a natureza a ficar cada vez mais forte e bonita”.

Thyago Sabino, gerente do atrativo, celebra também a parceria. “Quando fomos atrás do projeto, visando a parceria, tínhamos como objetivo de que a Estância Mimosa também fosse uma residência permanente dessas espécies, das araras em específico. Nossa ideia era oferecer condição ideal no ambiente. Depois de instalados os ninhos, com quase 1 ano de monitoramento, concluímos que estávamos certos a respeito de tudo que pensávamos: a Estância Mimosa é uma área com grande potencial para que essas espécies vivam bem”.

Além da Estância Mimosa, o Recanto Ecológico Rio da Prata e Lagoa Misteriosa, integrantes do Grupo Rio da Prata localizados em Jardim (MS), mantém a parceria com o projeto Arara Azul, desde fevereiro de 2012 quando foram instalados os primeiros ninhos artificiais nas dependências das fazendas.

Equipe do Instituto Arara Azul monitoram ninhos artificiais instalados na Estância Mimosa

A Estância Mimosa Ecoturismo (Bonito -MS) recebeu nesta segunda-feira (31) a visita de Carlos Cezar Corrêa, técnico do meio ambiente do Projeto Instituto Arara Azul, com o objetivo de vistoriar os ninhos artificiais instalados no atrativo.

Atualmente há 10 ninhos instalados com o intuito de serem utilizados como abrigo tanto para as araras azuis, bem como de outras como a arara-vermelha e a arara-canindé, além de auxiliar na reprodução das espécies.

Durante a visita, Cézar revelou que os ninhos foram explorados pelas espécies, porém se encontram vazio!

Viagem de carro pelo Brasil! Como chegar a Bonito saindo das principais capitais

Há quem goste de viajar de carro em qualquer período do ano. Mas agora, por conta da atual situação, essa parece ter se tornado uma opção ainda mais viável, já que favorece o distanciamento social indicado como medida de segurança. Por isso, se você está considerando fazer uma viagem com a família, Bonito, no Mato Grosso do Sul, pode ser o seu próximo destino.

A maior parte do comércio e dos atrativos turísticos já está funcionando normalmente desde o dia 1º de julho, tendo adotado medidas indicadas pela Secretaria de Saúde da Prefeitura Municipal. A Estância Mimosa Ecoturismo, especificamente, conquistou o selo Safe Travel pelo World Travel & Tourism Council (WTTC), único órgão global que representa o setor privado de Viagens e Turismo. Recebemos ainda o selo Bonito Seguro, iniciativa de um programa do Sebrae e entidades do Sistema S.

Distância de algumas capitais do país

Referência nacional de ecoturismo, Bonito fica a cerca de 300km da capital do estado, Campo Grande. Assim, são menos de quatro horas na estrada. Se você mora na região e ainda não conhece o destino, essa pode ser uma ótima oportunidade.

Saindo de São Paulo, são pouco mais de 1 mil km. O que dá aproximadamente 14h de estrada. O percurso é mais longo, mas pode ser aliviado revezando os motoristas ou com breves paradas. Nada que impeça uma viagem bem planejada!

Do Rio de Janeiro, a distância sobe um pouco mais, cerca de 500km do que seria o trajeto de São Paulo. Uma alternativa é passar uma noite em uma hospedagem de confiança, em alguma cidade no meio do trajeto que também esteja seguindo as medidas preventivas recomendadas pelos órgãos responsáveis.

O mesmo vale para distâncias maiores, como para quem vem da região Sul do país, Norte ou Nordeste.

Dicas para o seu veículo

Ao contrário do que muitos pensam, mesmo em uma viagem de carro com motor 1.0 é possível visitar Bonito-MS. O importante é conhecer e/ou se informar sobre as estradas até chegar ao local. Também indicamos modelos mais altos, especialmente na época de chuvas.

Mas chegando ao seu destino, na hospedagem de sua escolha em segurança, é o principal. Se o seu carro for muito baixo, estando por aqui você pode optar pelo transfer da agência de viagens ou mesmo alugar outro modelo para o caso de ir até determinados atrativos.

No mais, aproveite a diversão! Informe-se sobre os protocolos adotados em cada estabelecimento, curta com responsabilidade e respeite a natureza!

Para as reservas aqui da Estância Mimosa Ecoturismo, você pode entrar em contato com uma agência de turismo da região. Mais informações pelo nosso Whatsapp: (67) 99616-3082.

Atrativos do Grupo Rio da Prata conquistam o prêmio Travelers’ Choice 2020 do Tripadvisor

Os passeios de ecoturismo do Grupo Rio da Prata – Estância Mimosa, Lagoa Misteriosa e o Recanto Ecológico Rio da Prata – localizados em Bonito e Jardim, no Mato Grosso do Sul, conquistaram o Travelers’ Choice.

Passeio de barco na Estância Mimosa. Foto: Fernando Peres.

O reconhecimento homenageia estabelecimentos que, com base em um ano inteiro de avaliações do Tripadvisor, antes de quaisquer mudanças causadas pela pandemia, receberam excelentes avaliações dos viajantes e estão entre os 10% melhores atrativos no Tripadvisor.

Os depoimentos dos nossos visitantes demonstram que oferecemos uma experiência sensacional junto a natureza. Esta premiação é um reconhecimento deste trabalho de amor à natureza e do compromisso com o ecoturismo“, comemora Luiza Coelho, Diretora de Sustentabilidade do Grupo Rio da Prata.

Os vencedores do 2020 Travelers’ Choice Awards devem se orgulhar do reconhecimento“, disse Kanika Soni, Diretora Comercial da Tripadvisor. “Embora tenha sido um ano desafiador para viagens, queremos comemorar as conquistas de nossos parceiros. Os vencedores são reconhecidos por seu serviço e qualidade excepcionais e são também uma grande fonte de inspiração para viajantes”.

Passeio de flutuação no Recanto Ecológico Rio da Prata. Foto: Daniel De Granville.
Mergulho com cilindro e flutuação na Lagoa Misteriosa. Foto Acervo.

Veja algumas avaliações compartilhadas pelos viajantes sobre os atrativos:

Estância Mimosa Ecoturismo: “Fomos em família, foi delicioso, está super seguro, com todos os cuidados de biossegurança. Passeio inesquecível, paisagens incríveis, almoço delicioso, sobremesa genuína (o famoso doce de leite da fazenda), a variedade de animais que encontramos é impressionante. Indico muito para família em geral“, avaliou Ariane Mendes, em julho de 2020.

Lagoa Misteriosa: “Após uma pequena trilha chegamos a lagoa, do alto das escadas já dava pra ver como é linda. A flutuação foi incrível! Quando olhamos para baixo, não vimos o fundo, por isso o nome Lagoa Misteriosa, não se sabe a profundidade dela. A água tem uma cor azul lindíssima, nunca vi nada assim. Devo ressaltar ainda que o atrativo segue todas as normas de biossegurança. É um passeio que vale muito a pena, eu recomendo!”, disse Tati Cardim que avaliou o atrativo em 12 de agosto de 2020.

Recanto Ecológico Rio da Prata:Sem dúvidas um dos atrativos mais incríveis de Bonito e região, não somente pelas belezas naturais que chamam a atenção mas também pelos projetos ambientais e profissionais capacitados para tornar sua visita algo inesquecível!”, disse Felipe Martins em avaliação compartilhada no Tripadvisor em agosto de 2020.

Atrativos do Grupo Rio da Prata recebem selo “Bonito Seguro”

Os atrativos do Grupo Rio da Prata (Recanto Ecológico Rio da Prata, Estância Mimosa Ecoturismo e Lagoa Misteriosa) receberam o selo de certificação do programa “Bonito Seguro”.

No dia 30 de julho, consultoras do Sesi visitaram a Estância Mimosa para averiguar se o atrativo estava em conformidade com as medidas de boas práticas de prevenção à Covid-19. Nesta sexta-feira (14) a inspeção ocorreu no Recanto Ecológico Rio da Prata e Lagoa Misteriosa.

“Esse selo comprova que estamos cumprindo as medidas de higienização para que nossos visitantes tenham uma experiência segura nos atrativos. A reconexão com a natureza é necessária no momento para nossa saúde mental e física. A consultoria do Sebrae aborda as medidas eficazes e unimos todos os esforços para prevenção à Covid-19”, comenta Luiza Coelho, diretora de sustentabilidade do Grupo.

O programa “Bonito Seguro” é uma iniciativa do Sebrae e entidades do Sistema S e se baseia em consultorias gratuitas de biossegurança, abordando a modificação dos processos de produção, prestação de serviço e atendimento na empresa, diante da pandemia de novo coronavírus. Ao concluir 100% das boas práticas de prevenção, o empresário recebe certificado e selo de certificação.

De acordo com o gerente da Unidade Regional do Sebrae, Matheus Oliveira, o certificado é um diferencial competitivo, já que mostra as medidas preventivas adotadas pelo negócio para o funcionamento seguro. Além disso, outras vantagens são a preparação da equipe para orientar os clientes e o aumento da credibilidade junto à população.

“Os empresários que realizarem a consultoria vão conhecer de forma prática as principais adequações que precisam ser feitas para estar em dia com a vigilância sanitária e normas municipais. Buscamos uma padronização dos processos por todas as empresas, para que estejam preparadas para a volta dos turistas. Quem fizer a consultoria receberá este certificado, que é um diferencial competitivo no mercado”, afirma o gerente.

Para realizar as consultorias de biossegurança, os empresários interessados devem se inscrever no site bonitoseguro.ms.sebrae.com.br.

Turista consciente: 5 dicas de viagem segura para você e sua família

Você já ouviu falar em turismo consciente? É uma prática que tem muito a ver com a sua relação como turista consciente com o destino que você visita. São valores que respeitam a comunidade local, a natureza e só traz benefícios para você e para a região. Já parou para pensar sobre isso? Por vezes são pequenas atitudes que fazem toda a diferença.

Nesse período de distanciamento social, viaje com ainda mais consciência para a sua segurança, da sua família e da sociedade. Para tal, listamos a seguir algumas dicas – incluindo ações especiais para esse período de pandemia.

1 – Estude sobre o seu destino

Uma das partes mais gostosas de fazer uma viagem é se planejar e saber mais sobre o seu destino! É claro que melhor ainda é conhecer tudo pessoalmente, mas ter informações sobre o lugar para onde você vai te deixa preparado sobre a cultura local, sobre o que encontrar, os atrativos mais incríveis pra conhecer, o que levar na mala, etc.

Bonito-MS, por exemplo, é a capital do ecoturismo no Brasil, local perfeito para os amantes de natureza. Por aqui, os atrativos passaram um período fechados por conta do novo coronavírus, mas agora adotaram medidas preventivas para funcionarem de novo. A Estância Mimosa Ecoturismo, passeio de cachoeiras,  foi certificada internacionalmente com o selo Safe Travel.

2 – Respeite a comunidade e invista em serviços locais

Essa pesquisa que falamos acima tem muito a ver com formas de garantir a sustentabilidade econômica da comunidade. Assim, dê preferência para negócios locais que contribuem com a população da região. Isso vai desde a hospedagem que escolhe, ao guia que te acompanha nos passeios e até mesmo a sorveteria, por exemplo. Do maior ao menor empreendedor. Seu investimento faz toda a diferença para essas pessoas.

Nesse período de pandemia, também é importante que você fique muito atento para não ser um agente de transmissão, ainda mais vindo de outra cidade. Use máscara, higienize constantemente as mãos e fique atento às regras locais do destino escolhido e de cada atrativo, seja ele público ou privado. Seja um turista consciente!

3 – Valorize tradições e costumes da região

Nada de impor os seus costumes quando for viajar! Imagine alguém de fora chegando em sua casa e dizendo como as coisas devem ser. Absurdo, não é mesmo? Por isso, uma das atitudes mais importantes do turista consciente é o respeito e a valorização da cultura local, bem como de seus patrimônios.

4 – Pratique atividades turísticas de impacto positivo

Tire da lista atividades, destinos e atrativos que pratiquem ou que possam ter impacto ambiental negativo. A sua atitude como turista faz a diferença pela conservação da natureza. Assim, escolha lugares que valorizem essa relação e que já entenderam que um precisa do outro e que é possível viajar de maneira sustentável.

5 – Fique atento ao que você consome

Da mesma forma que nos atentamos às práticas alheias sobre sustentabilidade é importante nos atentarmos às nossas próprias práticas. Que tal, por exemplo, carregar a sua própria garrafinha ou copo reutilizável? Assim você pode reabastecer com água potável sempre que houver um bebedouro disponível, sem precisar utilizar uma garrafa plástica descartável. Essa dica funciona ainda mais nesse período, já que a orientação é não compartilhar utensílios com outras pessoas.

Você pode ainda (e deve, dependendo do seu destino), ter sempre um saquinho disponível para carregar consigo o possível lixo gerado na sua visita, pro caso de um lanchinho, casca de fruta etc.

Que outras atitudes você indicaria?

Esperamos que você tenha gostado dessas dicas e, mais do que tudo, pratique-as como turista consciente em sua próxima viagem! Muitos desses valores têm tudo a ver com a Estância Mimosa Ecoturismo. Por isso, se você se identificou, venha nos fazer uma visita.

Foto: Daniel de Granville

Estância Mimosa está aberta para visitação turística

A Estância Mimosa Ecoturismo, passeio de cachoeiras em Bonito (MS), retomou as atividades turísticas no dia 01 de julho. Todas as medidas de prevenção ao novo coronavírus são aplicadas, para garantir a segurança de visitantes e colaboradores.

Entre as ações estão a intensificação da higienização dos ambientes e equipamentos, medição de temperatura dos visitantes, uso de máscara facial, horário agendado e grupos de tamanho reduzido e distanciamento social.

Os passeios no atrativo acontece todos os dias. O número de vagas foi reduzido, obedecendo às recomendações das autoridades de saúde. Cada grupo será formado por nove vistantes e será acompanhado por um guia de turismo

Estar em contato com a natureza é essencial para a saúde humana, em especial em um momento como este. Além de todos os benefícios que oferece, como ar puro, águas cristalinas e paisagens exuberantes, proporciona relaxamento e inspirações para a vida. Vale ressaltar que todos os ambientes e atividades oferecidas pela Estância Mimosa acontecem ao ar livre.

O roteiro do passeio de cachoeiras é o mesmo de antes da suspensão das atividades, com aproximadamente 4 horas de duração, incluindo caminhada em trilha pela mata ciliar do Rio Mimoso, observando as aves, diferentes espécies de animais além de uma vasta variedade de árvores. São 10 cachoeiras de tamanhos e formas variadas com ótimos locais para banho em piscinas naturais e uma plataforma de salto.

As medidas preventivas para a visita no atrativo inclui:

• O uso de máscaras é obrigatório. Recomendamos que os visitantes tragam suas próprias máscaras, preferencialmente mais de uma unidade, caso suje ou molhe.

• Distanciamento social: padronização de uma distância segura entre as pessoas, de no mínimo 1,5 metros.

• Higienização e EPIs: Higienização de todas as superfícies de contato manual com álcool 70% ou desinfetante clorado e de todos os equipamentos usados por visitantes. Fornecimento de álcool 70% em gel para uso de visitantes e guias de turismo. Fornecimento de equipamentos de proteção individual para colaboradores e exigir uso por visitantes quando necessário.

• Identificação de pessoas com suspeita: Medição de temperatura corporal e entrevista sobre sintomas visando identificar pessoas portadoras de sintomas da COVID-19. Caso seja identificado pessoas com sintomas, após a realização dos procedimentos realizados no atrativo, os mesmos serão encaminhados para diagnóstico adequado e isolamento.

Além do passeio de trilha e cachoeiras, a Estância Mimosa Ecoturismo oferece atividades opcionais como passeio a cavalo e observação de aves.

As reservas para o passeio são feitas pelas agências de turismo da região. Para mais informações entre em contato pelo Whatsapp (67) 99616-3082 ou acesse o site: www.estanciamimosa.eco.br.

Mora em Bonito e região? 3 razões pra desfrutar do polo de ecoturismo mais famoso do Brasil

Bodoquena, Miranda, Aquidauana, Nioaque, Guia Lopes da Laguna, Jardim e Porto Murtinho são algumas das cidades que fazem divisa com Bonito, o polo de ecoturismo mais famoso do Brasil, no Mato Grosso do Sul. Campo Grande, a capital do estado, fica a pouco menos de 300km.

Assim, se você mora na região, essa é uma ótima oportunidade para prestigiar o turismo local, se precisar deixar a cabeça mais leve, sem ter de ir muito longe. Listamos a seguir três razões para curtir a vida por aqui.

Destino segue protocolos de biossegurança

Bonito foi um dos primeiros destinos do Brasil a implantar protocolos de biossegurança para voltar à operação nesse momento de pandemia pelo novo coronavírus. Aqui na Estância Mimosa Ecoturismo, recebemos o selo Safe Travels, especialmente desenvolvido para que os viajantes reconheçam empresas e governos que adotaram protocolos globais de saúde e higiene ao redor do mundo.

Assim, você pode viver a experiência de uma “Viagem Segura”!

Viagens locais são a nova tendência (pelo menos por enquanto)

Simplicidade, viagens curtas, segurança e o turismo familiar são as principais tendências para os próximos quatro anos – aponta o futurologista Ian Yeoman, que é também professor na Victoria University of Wellington, na Nova Zelândia. Além disso, o “novo turista” está cada vez mais preocupado com a natureza e com a saúde. A cara do polo de ecoturismo mais famoso do Brasil, Bonito-MS, não é mesmo?

Estar ao ar livre faz bem

É indiscutível que estar em meio à natureza, respirar ar puro, caminhar e ouvir o canto dos pássaros – além de dar um mergulho refrescante – fazem mais do que bem pro corpo e para a alma. A gente sente na pele! Mas tem estudos que comprovam esses benefícios, inclusive nesse período de distanciamento social.

O nosso último texto aqui no blog fala em detalhes sobre como pode te fazer bem estar ao ar livre, tanto para a saúde física quanto para a saúde mental. Citamos ainda o fato de que o risco de contaminação pelo novo coronavírus é muito menor em ambientes abertos. Mais uma razão para curtir com tranquilidade, seguindo todos os protocolos.

Aqui na Estância Mimosa Ecoturismo a gente garante fazer da sua viagem a melhor possível!

As reservas para o passeio são feitas pelas agências de turismo da região. Para mais informações entre em contato pelo Whatsapp (67 99616-3082) ou acesse o site: www.estanciamimosa.eco.br.

Placas de identificação de espécies de árvores são instaladas na RPPN Estância Mimosa

Propiciar aos visitantes uma experiência diferenciada junto à natureza é um dos propósitos da Estância Mimosa Ecoturismo, passeio de cachoeiras em Bonito (MS). Seguindo essa diretriz, foram instaladas na trilha de acesso às cachoeiras, 40 placas de identificação das espécies de árvores na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Estância Mimosa.

Nádia Pisetta, bióloga do Grupo Rio da Prata, revela que “a identificação das espécies de árvores e instalação de placas interpretativas nas trilhas de visitação ecoturísticas representa um grande ganho para a RPPN”.

Esses recursos são explorados pelo guia de turismo local, o qual leva conhecimento científico antes restrito para os técnicos da área para os visitantes, agregando valor a atividade e promovendo educação ambiental”, acrescenta.

A RPPN Estância Mimosa abriga a mata ripária do rio Mimoso, fragmentos de florestas estacionais e cerrado, uma amostra da flora encontrada na Serra da Bodoquena.

Veja o vídeo:

As placas instaladas foram:

Aguaí (Chrysophyllum gonocarpum);
Alazão (Terminalia mameluco);
Alecrim-do-campo (Holocalyx balsanae);
Amendoim-bravo (Pterogyne nitens);
Amora-branca (Maclura trinctoria);
Angico-vermelho (Anadenanthera macrocarpa);
Aroeira (Myracrodruon urundeuva);
“Bananinha” (Cf. Capparis prisca);
Bocaiúva (Acrocomia aculeata);
Cagaitá (Stenocalyx dysintericus);
Canafístula (Peltophorum dubium);
Canela-preta (Nectandra megapotamica);
Canela-branca (Nectandra membranacea);
Canjarana (Guarea kunthiana);
Canjarana (Guarea canjarana);
Caraguatá (Bromelia balsanae);
Catiguá (Trichilia claussenii);
Cedro (Cedrela fissilis);
Cerveja-de-pobre (Agonandra brasiliensis);
Coração-de-negro (Poecilanthe parviflora);
Mulungu (Erythrina mulungu);
Espeteiro (Casearia gossypiosperma);
Falso-ingá (Lanchocarpus sericeus);
Figueira (Ficus insipida);
Goiabinha (Psidium sartonianum);
Gonçalo-alves (Astronium fraxinifolium);
Guanandi (Calophyllum brasiliense);
Jaracatiá (Jaracatia spionsa);
Jatobá-mirim (Guibourtia hymenifolia);
Jenipapo (Genipa americana);
Limãozinho-do-mato (Ximenia americana);
Louro (Cordia cf. trichotoma);
Mamica-de-porca (Zanthoxylum rhoifolium);
Maria-preta (Averrhoidium paraguaiense);
Marinheiro (Guarea guidonia);
Monjoleiro (Acacia cf. polyphylla);
Peroba-rosa (Aspidosperma polyneuron);
Pitomba (Talisia esculenta);
Sepultá (Salacia elliptica).

Revisão do Plano de Manejo da RPPN Estância Mimosa é aprovado pelo Imasul

O Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) publicou no Diário Oficial do Estado, no dia 6 de julho de 2020, a Portaria nº 793/2020 no qual aprova a revisão do Plano de Manejo da Reserva Particular de Patrimônio Natural – RPPN Estância Mimosa.

A criação da RPPN Estância Mimosa foi oficializada pela Resolução SEMAC/IMASUL/MS Num. 03 de 14/02/2013. Possui 271,76 hectares e protege uma área de mata ciliar e relevo acidentado as margens do Rio Mimoso.

Em 2016 e 2017, o Plano de Manejo da reserva foi elaborado pela empresa eeCoo Sustentabilidade, da qual fazem parte Mauricio Neves Godoi, Cintia Neves Godoi e Guilherme Neves Louzada. O ecólogo Mauricio Godoi, responsável pela execução dos estudos ambientais e sociais, já tinha pleno conhecimento da área tendo em vista que o local foi base para seus estudos de doutorado o que contribuiu para que o documento fosse elaborado com bastante cuidado para refletir muito bem as características e estabelecer normas de proteção para este local tão especial.

“Para ajudar na conservação e gestão da RRPN Estância Mimosa, neste ano de 2017 foi elaborado seu Plano de Manejo, um conjunto de estudos técnicos que apresentam todos os aspectos ambientais e socioeconômicos da RPPN e que tem por objetivo embasar a tomada de decisões relativas ao seu manejo, gestão e conservação, incluindo seu zoneamento ambiental e as normas para o uso e manejo de seus recursos naturais”, acrescenta Maurício.

Luiza Coelho, diretora de sustentabilidade do Grupo Rio da Prata, coordenou a execução dos trabalhos do Plano de Manejo e relata que “Tentamos produzir um Plano que realmente seja útil, compilando todos os estudos já realizados anteriormente na Mimosa e os procedimentos e rotinas atuais. Nosso objetivo é que seja uma ferramenta muito eficaz para continuar a proteção desta área. A transformação da área em RPPN já assegura a sua proteção perpétua e o Plano de Manejo oficializa todas a gestão da área que é toda voltada a prevenção de impactos ambientais e melhoria da qualidade ambiental sempre.”

Em outubro de 2017, o Plano de Manejo da RPPN Estância Mimosa foi protocolado para análise e aprovação na Gerência de Unidades de Conservação do IMASUL/MS. A análise dos técnicos gerou algumas recomendações de revisão, as quais foram corrigidas e o documento foi submetido novamente para análise, esta nova versão retificada recebeu a data de 16/07/2018.

O Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) publicou no dia 1º de agosto de 2018 a Portaria nº 630/2018 que aprovou o Plano de Manejo da Reserva Particular de Patrimônio Natural Estância Mimosa. Conforme o roteiro metodológico para elaboração do Plano de Manejo nas RPPNs, a implementação do plano de manejo deverá ser feita no período de cinco anos, durante os quais as informações necessárias para a revisão do Plano de Manejo devem ser levantadas.

Em 2020, após 2 anos de implementação do Plano de Manejo, observou-se a necessidade de revisões no documento. A nova versão deverá ser aprovada pela Gerência de Unidades de Conservação do IMASUL/MS.

Assim, as seguintes revisões foram realizadas:

· Inserção do mapa detalhado da Estância Mimosa, feito pelo Exército Brasileiro em abril de 2006;

· Inserção de duas estradas antigas que não foram detalhadas no Plano original: uma estrada da cascalheira e a “Estrada do Sinhozinho”, a qual será reativada;

· Criação do item Normas de uso gerais da RPPN;

· Inserção do Programa de novas atividades dentro do Programa de Visitação;

· Mudança no Zoneamento;

· Criação de uma Zona de Recuperação (antiga cascalheira);

· Atualização da capacidade de carga dos passeios de ecoturismo;

· Revisão do cronograma de atividades;

· Criação da regra de revisão pontual do Plano de Manejo;

· Retirado o Anexo IV – Licença Ambiental de Operação, pois a mesma pode ficar desatualizada.

“Agradecemos a técnica do IMASUL, Ana Carolina Seixas Nascimento, Analista Ambiental GUC/IMASUL, pela orientação e análise prestativa dos nossos planos de manejo. É muito bom saber que temos uma Gerência de Unidades de Conservação atuante e eficiente na gestão e proteção das nossas reservas e parques. A aprovação da revisão do Plano demonstra a maturidade da RPPN Estância Mimosa e sua evolução constante, buscando sempre a melhoria da qualidade ambiental da área”, conclui Luiza Coelho, Diretora de Sustentabilidade da Estância Mimosa.

O documento possui vigência de 10 anos a contar da data da publicação no Diário Oficial do Estado de Mato Grosso do Sul, podendo ser ajustado mediante relatório técnico de monitoria durante a implementação do plano de manejo, aprovada pela Gerência de Unidades de Conservação do IMASUL.