Mora em Bonito e região? 3 razões pra desfrutar do polo de ecoturismo mais famoso do Brasil

Bodoquena, Miranda, Aquidauana, Nioaque, Guia Lopes da Laguna, Jardim e Porto Murtinho são algumas das cidades que fazem divisa com Bonito, o polo de ecoturismo mais famoso do Brasil, no Mato Grosso do Sul. Campo Grande, a capital do estado, fica a pouco menos de 300km.

Assim, se você mora na região, essa é uma ótima oportunidade para prestigiar o turismo local, se precisar deixar a cabeça mais leve, sem ter de ir muito longe. Listamos a seguir três razões para curtir a vida por aqui.

Destino segue protocolos de biossegurança

Bonito foi um dos primeiros destinos do Brasil a implantar protocolos de biossegurança para voltar à operação nesse momento de pandemia pelo novo coronavírus. Aqui na Estância Mimosa Ecoturismo, recebemos o selo Safe Travels, especialmente desenvolvido para que os viajantes reconheçam empresas e governos que adotaram protocolos globais de saúde e higiene ao redor do mundo.

Assim, você pode viver a experiência de uma “Viagem Segura”!

Viagens locais são a nova tendência (pelo menos por enquanto)

Simplicidade, viagens curtas, segurança e o turismo familiar são as principais tendências para os próximos quatro anos – aponta o futurologista Ian Yeoman, que é também professor na Victoria University of Wellington, na Nova Zelândia. Além disso, o “novo turista” está cada vez mais preocupado com a natureza e com a saúde. A cara do polo de ecoturismo mais famoso do Brasil, Bonito-MS, não é mesmo?

Estar ao ar livre faz bem

É indiscutível que estar em meio à natureza, respirar ar puro, caminhar e ouvir o canto dos pássaros – além de dar um mergulho refrescante – fazem mais do que bem pro corpo e para a alma. A gente sente na pele! Mas tem estudos que comprovam esses benefícios, inclusive nesse período de distanciamento social.

O nosso último texto aqui no blog fala em detalhes sobre como pode te fazer bem estar ao ar livre, tanto para a saúde física quanto para a saúde mental. Citamos ainda o fato de que o risco de contaminação pelo novo coronavírus é muito menor em ambientes abertos. Mais uma razão para curtir com tranquilidade, seguindo todos os protocolos.

Aqui na Estância Mimosa Ecoturismo a gente garante fazer da sua viagem a melhor possível!

As reservas para o passeio são feitas pelas agências de turismo da região. Para mais informações entre em contato pelo Whatsapp (67 99616-3082) ou acesse o site: www.estanciamimosa.eco.br.

Placas de identificação de espécies de árvores são instaladas na RPPN Estância Mimosa

Propiciar aos visitantes uma experiência diferenciada junto à natureza é um dos propósitos da Estância Mimosa Ecoturismo, passeio de cachoeiras em Bonito (MS). Seguindo essa diretriz, foram instaladas na trilha de acesso às cachoeiras, 40 placas de identificação das espécies de árvores na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Estância Mimosa.

Nádia Pisetta, bióloga do Grupo Rio da Prata, revela que “a identificação das espécies de árvores e instalação de placas interpretativas nas trilhas de visitação ecoturísticas representa um grande ganho para a RPPN”.

Esses recursos são explorados pelo guia de turismo local, o qual leva conhecimento científico antes restrito para os técnicos da área para os visitantes, agregando valor a atividade e promovendo educação ambiental”, acrescenta.

A RPPN Estância Mimosa abriga a mata ripária do rio Mimoso, fragmentos de florestas estacionais e cerrado, uma amostra da flora encontrada na Serra da Bodoquena.

Veja o vídeo:

As placas instaladas foram:

Aguaí (Chrysophyllum gonocarpum);
Alazão (Terminalia mameluco);
Alecrim-do-campo (Holocalyx balsanae);
Amendoim-bravo (Pterogyne nitens);
Amora-branca (Maclura trinctoria);
Angico-vermelho (Anadenanthera macrocarpa);
Aroeira (Myracrodruon urundeuva);
“Bananinha” (Cf. Capparis prisca);
Bocaiúva (Acrocomia aculeata);
Cagaitá (Stenocalyx dysintericus);
Canafístula (Peltophorum dubium);
Canela-preta (Nectandra megapotamica);
Canela-branca (Nectandra membranacea);
Canjarana (Guarea kunthiana);
Canjarana (Guarea canjarana);
Caraguatá (Bromelia balsanae);
Catiguá (Trichilia claussenii);
Cedro (Cedrela fissilis);
Cerveja-de-pobre (Agonandra brasiliensis);
Coração-de-negro (Poecilanthe parviflora);
Mulungu (Erythrina mulungu);
Espeteiro (Casearia gossypiosperma);
Falso-ingá (Lanchocarpus sericeus);
Figueira (Ficus insipida);
Goiabinha (Psidium sartonianum);
Gonçalo-alves (Astronium fraxinifolium);
Guanandi (Calophyllum brasiliense);
Jaracatiá (Jaracatia spionsa);
Jatobá-mirim (Guibourtia hymenifolia);
Jenipapo (Genipa americana);
Limãozinho-do-mato (Ximenia americana);
Louro (Cordia cf. trichotoma);
Mamica-de-porca (Zanthoxylum rhoifolium);
Maria-preta (Averrhoidium paraguaiense);
Marinheiro (Guarea guidonia);
Monjoleiro (Acacia cf. polyphylla);
Peroba-rosa (Aspidosperma polyneuron);
Pitomba (Talisia esculenta);
Sepultá (Salacia elliptica).

Revisão do Plano de Manejo da RPPN Estância Mimosa é aprovado pelo Imasul

O Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) publicou no Diário Oficial do Estado, no dia 6 de julho de 2020, a Portaria nº 793/2020 no qual aprova a revisão do Plano de Manejo da Reserva Particular de Patrimônio Natural – RPPN Estância Mimosa.

A criação da RPPN Estância Mimosa foi oficializada pela Resolução SEMAC/IMASUL/MS Num. 03 de 14/02/2013. Possui 271,76 hectares e protege uma área de mata ciliar e relevo acidentado as margens do Rio Mimoso.

Em 2016 e 2017, o Plano de Manejo da reserva foi elaborado pela empresa eeCoo Sustentabilidade, da qual fazem parte Mauricio Neves Godoi, Cintia Neves Godoi e Guilherme Neves Louzada. O ecólogo Mauricio Godoi, responsável pela execução dos estudos ambientais e sociais, já tinha pleno conhecimento da área tendo em vista que o local foi base para seus estudos de doutorado o que contribuiu para que o documento fosse elaborado com bastante cuidado para refletir muito bem as características e estabelecer normas de proteção para este local tão especial.

“Para ajudar na conservação e gestão da RRPN Estância Mimosa, neste ano de 2017 foi elaborado seu Plano de Manejo, um conjunto de estudos técnicos que apresentam todos os aspectos ambientais e socioeconômicos da RPPN e que tem por objetivo embasar a tomada de decisões relativas ao seu manejo, gestão e conservação, incluindo seu zoneamento ambiental e as normas para o uso e manejo de seus recursos naturais”, acrescenta Maurício.

Luiza Coelho, diretora de sustentabilidade do Grupo Rio da Prata, coordenou a execução dos trabalhos do Plano de Manejo e relata que “Tentamos produzir um Plano que realmente seja útil, compilando todos os estudos já realizados anteriormente na Mimosa e os procedimentos e rotinas atuais. Nosso objetivo é que seja uma ferramenta muito eficaz para continuar a proteção desta área. A transformação da área em RPPN já assegura a sua proteção perpétua e o Plano de Manejo oficializa todas a gestão da área que é toda voltada a prevenção de impactos ambientais e melhoria da qualidade ambiental sempre.”

Em outubro de 2017, o Plano de Manejo da RPPN Estância Mimosa foi protocolado para análise e aprovação na Gerência de Unidades de Conservação do IMASUL/MS. A análise dos técnicos gerou algumas recomendações de revisão, as quais foram corrigidas e o documento foi submetido novamente para análise, esta nova versão retificada recebeu a data de 16/07/2018.

O Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) publicou no dia 1º de agosto de 2018 a Portaria nº 630/2018 que aprovou o Plano de Manejo da Reserva Particular de Patrimônio Natural Estância Mimosa. Conforme o roteiro metodológico para elaboração do Plano de Manejo nas RPPNs, a implementação do plano de manejo deverá ser feita no período de cinco anos, durante os quais as informações necessárias para a revisão do Plano de Manejo devem ser levantadas.

Em 2020, após 2 anos de implementação do Plano de Manejo, observou-se a necessidade de revisões no documento. A nova versão deverá ser aprovada pela Gerência de Unidades de Conservação do IMASUL/MS.

Assim, as seguintes revisões foram realizadas:

· Inserção do mapa detalhado da Estância Mimosa, feito pelo Exército Brasileiro em abril de 2006;

· Inserção de duas estradas antigas que não foram detalhadas no Plano original: uma estrada da cascalheira e a “Estrada do Sinhozinho”, a qual será reativada;

· Criação do item Normas de uso gerais da RPPN;

· Inserção do Programa de novas atividades dentro do Programa de Visitação;

· Mudança no Zoneamento;

· Criação de uma Zona de Recuperação (antiga cascalheira);

· Atualização da capacidade de carga dos passeios de ecoturismo;

· Revisão do cronograma de atividades;

· Criação da regra de revisão pontual do Plano de Manejo;

· Retirado o Anexo IV – Licença Ambiental de Operação, pois a mesma pode ficar desatualizada.

“Agradecemos a técnica do IMASUL, Ana Carolina Seixas Nascimento, Analista Ambiental GUC/IMASUL, pela orientação e análise prestativa dos nossos planos de manejo. É muito bom saber que temos uma Gerência de Unidades de Conservação atuante e eficiente na gestão e proteção das nossas reservas e parques. A aprovação da revisão do Plano demonstra a maturidade da RPPN Estância Mimosa e sua evolução constante, buscando sempre a melhoria da qualidade ambiental da área”, conclui Luiza Coelho, Diretora de Sustentabilidade da Estância Mimosa.

O documento possui vigência de 10 anos a contar da data da publicação no Diário Oficial do Estado de Mato Grosso do Sul, podendo ser ajustado mediante relatório técnico de monitoria durante a implementação do plano de manejo, aprovada pela Gerência de Unidades de Conservação do IMASUL.

Benefícios da vida ao ar livre em tempos de Covid-19 e como agir com segurança

Como tornar a vida mais leve mantendo a segurança nesse momento? Como já divulgamos por aqui, a Estância Mimosa, assim como todos os atrativos doo Grupo Rio da Prata, conquistou o selo Safe Travel do World Travel & Tourism Council (WTTC). Isso significa que adotamos todos os procedimentos indicados para a sua segurança durante um passeio ao ar livre.

Dito isso, listamos a seguir os benefícios de estar em contato com a natureza nesse período.

É bom para a sua saúde mental

A saúde mental também é primordial nesse momento. E nada melhor que poder estar em contato com a natureza, ao ar livre, para aliviar a mente nesse período de distanciamento social. Você pode aproveitar esses momentos para relaxar.

Entre os benefícios estão a recuperação da saúde mental, alívio do estresse, mais concentração, criatividade e melhoria na concentração a curto prazo. Se você estiver trabalhando em casa, por exemplo, essa pode ser uma oportunidade de dar uma pausa para depois melhorar o seu desempenho. Se estiver com a família, vocês podem fazer um passeio juntos num ambiente aberto.

Estudos indicam que bastam 45 minutos diários ao ar livre para obtermos resultados positivos para a saúde.

É bom para o seu corpo

A revista GoOutside também criou um guia com regras de como ir ao ar livre durante o período. A publicação fala de um estudo conduzido pelo Centro Médico da Universidade de Georgetown, que reconhece o papel que a luz solar tanto na produção de vitamina D e na liberação de serotonima – substância que, entre os neurônios, produz a sensação de bem-estar – quanto na resposta imune do nosso corpo.

“Passar o tempo ao ar livre tem sido associado a uma série de benefícios à saúde, desde menor incidência de diabetes até diminuição da pressão arterial. Pode até diminuir o risco de ataque cardíaco”, diz a publicação.

O mesmo para manter uma rotina de exercícios físicos. E aqui na Estância Mimosa você caminha pela trilha que leva às cachoeiras. Outra orientação médica é ainda o fundamental consumo de frutas, verduras, hortaliças e alimentos naturais e frescos. Aqui, nossos alimentos são orgânicos, colhidos da própria horta, e servidos em nosso almoço à la carte nesse período.

Esse é o pacote básico de recomendações de saúde que não muda nem em tempos de pandemia.

Em segurança para a sociedade

De acordo com a bióloga Terimar Moresco, em publicação da Universidade Federal de Santa Maria (UFMS) “a contaminação por via aérea é menor em ambientes abertos ou com circulação de ar natural”.  Além disso, aqui na Estância Mimosa o uso de máscaras é obrigatório, assim como o distanciamento social com padronização de uma distância segura entre as pessoas, de no mínimo 1,5 metros.

Confira em detalhes todos os outros procedimentos que adotamos seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde (OMS) desde a reabertura no dia 1º de julho.

Com base em tudo o que foi dito e que tem sido feito por aqui, esperamos a sua visita. Temos 10 cachoeiras e nove pontos de banho para você contemplar e se refrescar ao ar livre, além de passeio a cavalo e observação de aves.

As visitas à Estância Mimosa Ecoturismo devem ser feitas através das agências de turismo da região. Para saber como fazer uma reserva, acesse: bit.ly/ondecomprar-mimosa.

Atrativos do Grupo Rio da Prata conquistam selo Safe Travel do WTTC

O World Travel & Tourism Council (WTTC), único órgão global que representa o setor privado de Viagens e Turismo, concedeu aos atrativos do Grupo Rio da Prata – Estância Mimosa Ecoturismo, Lagoa Misteriosa e Recanto Ecológico Rio da Prata, passeios em Bonito e Jardim (MS), o selo Safe Travels.

O selo, especialmente desenvolvido para este momento, vai permitir que viajantes reconheçam empresas e governos que, ao redor do mundo, adotaram protocolos globais de saúde e higiene – para que possam viver a experiência de uma “Viagem Segura”.

Piscinas naturais da Estância Mimosa Ecoturismo. Foto: Daniel De Granville.

O reconhecimento certifica de que os atrativos atendem aos “Leading Global Protocols for the New Normal – Attractions and Tour Operators – June, 2020”, ou seja, aos Protocolos Globais para o Novo Normal para Atrações e Operadores Turísticos.

O protocolo estipula ações relacionadas a higienização intensificada, treinamento de equipe, diminuição de capacidade de carga, distanciamento social e uso de máscaras e atua também em quatro esferas. São eles: Procedimentos Operacionais e de equipe; experiência segura; Re-construção da Confiança e Implementação de Políticas.

Para Luiza Coelho, Diretora de Sustentabilidade do Grupo Rio da Prata, o selo confirma que “as medidas de prevenção em biossegurança que adotamos são importantes e eficazes já que são as mesmas estabelecidas pelo protocolo do WTTC para as atrações turísticas”.

Luiza acrescenta ainda que a certificação demonstra e reforça que “realmente as atividades ao ar livre são a próxima tendência para o turismo nacional e mundial pois é a melhor forma do homem se reconectar com a natureza nesse período pós- quarentena”.

Os atrativos do Grupo Rio da Prata, assim como outros atrativos turísticos de Bonito e região, retomaram suas atividades no dia 1º de julho de 2020, após cerca de 100 dias com o segmento suspenso devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Abaixo os selos da Lagoa Misteriosa e do Recanto Ecológico Rio da Prata:

Mergulho com cilindro e flutuação em águas cristalinas na Lagoa Misteriosa. Foto: Marcio Cabral.
Flutuação no Recanto Ecológico Rio da Prata. Foto: Márcio Cabral

Sobre a WTTC

O World Travel & Tourism Council (WTTC) é a autoridade global na contribuição econômica e social do setor de Viagens e Turismo. Promove o crescimento sustentável do setor de Viagens e Turismo, trabalhando com governos e entidades internacionais para criar empregos, impulsionar exportações e gerar prosperidade.

Junto com a Oxford Economics, a WTTC produz uma pesquisa anual que mostra o setor de Viagens e Tursimo como um dos maiores do mundo, apoiando 330 milhões de empregos e gerando 10.3% do GDP global em 2019.

Estância Mimosa Ecoturismo retoma visitação turística a partir de julho

A Estância Mimosa Ecoturismo, passeio de cachoeiras em Bonito (MS), vai retomar as atividades no dia 01 de julho. Todas as medidas de prevenção ao novo coronavírus serão aplicadas, para garantir a segurança de visitantes e colaboradores.

Entre as ações estão a intensificação da higienização dos ambientes e equipamentos, medição de temperatura dos visitantes, horário agendado e grupos de tamanho reduzido e distanciamento social. O serviço de buffet será substituído por “a la carte”.

Os passeios no atrativo ocorrerão todos os dias. O número de vagas foi reduzido, obedecendo às recomendações das autoridades de saúde. Cada grupo será formado por nove vistantes e será acompanhado por um guia de turismo

Estar em contato com a natureza é essencial para a saúde humana, em especial em um momento como este. Além de todos os benefícios que oferece, como ar puro, águas cristalinas e paisagens exuberantes, proporciona relaxamento e inspirações para a vida. Vale ressaltar que todos os ambientes e atividades oferecidas pela Estância Mimosa acontecem ao ar livre.

O roteiro do passeio de cachoeiras é o mesmo de antes da suspensão das atividades, com aproximadamente 4 horas de duração, incluindo caminhada em trilha pela mata ciliar do Rio Mimoso, observando as aves, diferentes espécies de animais além de uma vasta variedade de árvores. São 10 cachoeiras de tamanhos e formas variadas com ótimos locais para banho em piscinas naturais e uma plataforma de salto.

O protocolo de segurança para a visita no atrativo inclui:

• O uso de máscaras é obrigatório. Recomendamos que os visitantes tragam suas próprias máscaras, preferencialmente mais de uma unidade, caso suje ou molhe.

• Distanciamento social: padronização de uma distância segura entre as pessoas, de no mínimo 1,5 metros.

• Higienização e EPIs: Higienização de todas as superfícies de contato manual com álcool 70% ou desinfetante clorado e de todos os equipamentos usados por visitantes. Fornecimento de álcool 70% em gel para uso de visitantes e guias de turismo. Fornecimento de equipamentos de proteção individual para colaboradores e exigir uso por visitantes quando necessário.

• Identificação de pessoas com suspeita: Medição de temperatura corporal e entrevista sobre sintomas visando identificar pessoas portadoras de sintomas da COVID-19. Caso seja identificado pessoas com sintomas, após a realização dos procedimentos realizados no atrativo, os mesmos serão encaminhados para diagnóstico adequado e isolamento.

Além do passeio de trilha e cachoeiras, a Estância Mimosa Ecoturismo oferece atividades opcionais como passeio a cavalo e observação de aves.

As reservas para o passeio são feitas pelas agências de turismo da região. Para mais informações entre em contato pelo Whatsapp (67 99616-3082) ou acesse o site: www.estanciamimosa.eco.br.

Passeios na Estância Mimosa retornam em julho

Está chegando a hora de matar a saudade da Estância Mimosa Ecoturismo e se encantar novamente com a natureza: é dia 1º de julho!

A Prefeitura de Bonito (MS) aprovou nesta semana o protocolo de biossegurança entregue pela ATRATUR (Associação dos Atrativos Turísticos de Bonito e Região), com as orientações para reabertura dos atrativos turísticos, prevista oficialmente para 1º de julho.

Confira a matéria completa, sobre a reabertura dos atrativos turísticos e saiba mais: https://bit.ly/2YLHHmO

Nossa preocupação é a sua total segurança, como sempre foi. Por isso, algumas exigências para ter o selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”, lançado pelo Ministério do Turismo, são:.

  • distanciamento social;
  • restrição de público;
  • higienização;
  • controle de acesso de visitantes



Araras-azuis na Estância Mimosa em Bonito (MS)

Novos registros de araras-azuis foram feitos na Estância Mimosa Ecoturismo em Bonito (MS). A espécie, que encanta a todos por sua cor vibrante e som alegre e inconfundível, são animais com hábitos que chamam a atenção. Elas gostam de voar em pares ou em grupo e nos fins de tarde, se reúnem em bandos em árvores “dormitório”. Acuri e bocaiúva são alguns de seus alimentos.

A Estância Mimosa é parceira desde setembro de 2019 do Instituto Arara Azul, iniciativa que visa a conservação da espécie. Na ocasião, foram instalados no atrativo 10 ninhos artificiais. Além de dar um incremento à experiência dos milhares de turistas que visitam a fazenda para fazer observação de aves, o principal objetivo desta parceria é que os ninhos sejam utilizados como abrigo para as araras. E não apenas as azuis: também para a arara-vermelha e a arara-canindé. A prática auxilia também na reprodução das espécies.

Veja abaixo vídeo e contemple a natureza!

Banho de cachoeira em Bonito? Só se for em segurança!

Segurança é a palavra-chave quando você está viajando em busca de experiências na natureza. E aqui na Estância Mimosa Ecoturismo é assunto sério, levado à risca. Tanto, que ainda em 2011, a RPPN se tornou o primeiro atrativo a receber uma certificação ISO nas modalidades caminhada e banho de cachoeira em Bonito-MS. Mas sabe o que isso significa para você, turista?

“Toda atividade em meio a natureza oferece riscos, e é impossível controlar todos eles. Contudo podemos diminuir os mesmos através de procedimentos preventivos. A auditoria da ABNT certifica anualmente a importância que damos ao ecoturismo de qualidade proporcionando ao visitante a maior segurança possível”, explica o gerente da Estância Mimosa Thyago Sabino.

Como isso impacta o turista?

Na prática, receber essa certificação comprova o nosso compromisso com o seu bem-estar, seu conforto e sua experiência aqui com a gente, com máxima qualidade dos produtos e serviços prestados nas atividades em meio à natureza.

Através do nosso Sistema de Gestão de Segurança (SGS), aplicamos a Norma NBR ISO 21.101. Ela basicamente estabelece os requisitos mínimos para prestar serviços e promover experiências de turismo de aventura com segurança. Significa que você pode se aventurar e curtir a natureza tranquilamente!

Isso vai desde o treinamento da equipe, e guias, as placas de sinalização na trilha, até equipamentos para cada atividade, como boias ou coletes para o seu banho de cachoeira em Bonito. Alguns detalhes importantes que fazem toda a diferença para fazer da sua vivência a melhor experiência possível.

Resumindo, o SGS é uma cultura de boas práticas que busca minimizar os riscos das atividades em ambientes naturais, através de quatro ações principais:

1 – Tornar os visitantes conscientes dos riscos envolvidos nas atividades na natureza;

2 – Inventariar, analisar e minimizar os riscos da operação turística, aumentando a segurança do visitante;

3 – Organizar os procedimentos de tratamento e atendimento de emergências.

4 – Capacitar anualmente os colaboradores e guias em primeiros socorros e atendimento a emergências.

Como a Estância Mimosa Ecoturismo conquistou a certificação

Uma das missões de sustentabilidade da Estância Mimosa é promover a conduta consciente em ambientes naturais, por meio da prática da atividade turística de baixo impacto ambiental, assim como de práticas consagradas de segurança no turismo de aventura.

Assim, em 2008, o atrativo iniciou a sua participação no programa Aventura Segura da ABETA (Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura), em parceria com SEBRAE e Ministério do Turismo 2008 e 2010. Através do programa, a Estância Mimosa realizou a implantação do seu Sistema de Gestão de Segurança, o qual consiste em uma série de documentos, ações e procedimentos que visam prevenir a ocorrência de acidentes nas atividades de ecoturismo.

Então, em 2010, este sistema recebeu a auditoria da ABNT Certificadora, que resultou na certificação do sistema, comprovando que ele atende aos requisitos das normas da ABNT ISO 21101 e normas relacionadas às atividades. Desde então, a Estância Mimosa mantém esta certificação através de auditorias anuais realizadas por um auditor externo.

“Somos privilegiados, pois trabalhamos em uma empresa que é a 1ª a obter a certificação em caminhada e banho de cachoeira em Bonito, considerado um dos melhores destinos de ecoturismo do país. Isso mostra o empenho de toda a equipe e diretoria, que ao longo do tempo vem se aprimorando para atender todas as exigências do sistema”, completa Thyago.

Viu só como tem gente que se preocupa com você? Logo podemos viver juntos os melhores momentos da vida ao ar livre! Até breve!