Placas de identificação de espécies de árvores são instaladas na RPPN Estância Mimosa

Propiciar aos visitantes uma experiência diferenciada junto à natureza é um dos propósitos da Estância Mimosa Ecoturismo, passeio de cachoeiras em Bonito (MS). Seguindo essa diretriz, foram instaladas na trilha de acesso às cachoeiras, 40 placas de identificação das espécies de árvores na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Estância Mimosa.

Nádia Pisetta, bióloga do Grupo Rio da Prata, revela que “a identificação das espécies de árvores e instalação de placas interpretativas nas trilhas de visitação ecoturísticas representa um grande ganho para a RPPN”.

Esses recursos são explorados pelo guia de turismo local, o qual leva conhecimento científico antes restrito para os técnicos da área para os visitantes, agregando valor a atividade e promovendo educação ambiental”, acrescenta.

A RPPN Estância Mimosa abriga a mata ripária do rio Mimoso, fragmentos de florestas estacionais e cerrado, uma amostra da flora encontrada na Serra da Bodoquena.

Veja o vídeo:

As placas instaladas foram:

Aguaí (Chrysophyllum gonocarpum);
Alazão (Terminalia mameluco);
Alecrim-do-campo (Holocalyx balsanae);
Amendoim-bravo (Pterogyne nitens);
Amora-branca (Maclura trinctoria);
Angico-vermelho (Anadenanthera macrocarpa);
Aroeira (Myracrodruon urundeuva);
“Bananinha” (Cf. Capparis prisca);
Bocaiúva (Acrocomia aculeata);
Cagaitá (Stenocalyx dysintericus);
Canafístula (Peltophorum dubium);
Canela-preta (Nectandra megapotamica);
Canela-branca (Nectandra membranacea);
Canjarana (Guarea kunthiana);
Canjarana (Guarea canjarana);
Caraguatá (Bromelia balsanae);
Catiguá (Trichilia claussenii);
Cedro (Cedrela fissilis);
Cerveja-de-pobre (Agonandra brasiliensis);
Coração-de-negro (Poecilanthe parviflora);
Mulungu (Erythrina mulungu);
Espeteiro (Casearia gossypiosperma);
Falso-ingá (Lanchocarpus sericeus);
Figueira (Ficus insipida);
Goiabinha (Psidium sartonianum);
Gonçalo-alves (Astronium fraxinifolium);
Guanandi (Calophyllum brasiliense);
Jaracatiá (Jaracatia spionsa);
Jatobá-mirim (Guibourtia hymenifolia);
Jenipapo (Genipa americana);
Limãozinho-do-mato (Ximenia americana);
Louro (Cordia cf. trichotoma);
Mamica-de-porca (Zanthoxylum rhoifolium);
Maria-preta (Averrhoidium paraguaiense);
Marinheiro (Guarea guidonia);
Monjoleiro (Acacia cf. polyphylla);
Peroba-rosa (Aspidosperma polyneuron);
Pitomba (Talisia esculenta);
Sepultá (Salacia elliptica).

6 motivos que fazem da Estância Mimosa um dos melhores atrativos de ecoturismo em Bonito

Ouvir o som dos pássaros, sentir de perto a natureza, se refrescar em águas cristalinas, relaxar na rede e esquecer dos problemas. Já pensou experimentar tudo isso em apenas um dia? Não importa o seu perfil de turista, se está sozinho, viajando em casal, amigos ou com a família, a Estância Mimosa Ecoturismo é pra todo tipo de turista. Para comprovar, colocamos 6 motivos que fazem dela um dos melhores atrativos em Bonito-MS.

1- Conexão de verdade com a natureza

Se você quer uma integração de verdade com a natureza e a vida ao ar livre, a antiga fazenda que virou receptivo turístico possui 80% de sua extensão de florestas naturais e morros típicos da morraria da Serra da Bodoquena. E é entre a mata ciliar do Rio Mimoso, por exemplo, que se chega ao total de 10 cachoeiras, uma mais bela que a outra, com 9 paradas para banho e piscinas naturais, além de pequenas grutas.

Através de uma trilha contemplativa e interpretativa, crianças, casais, famílias e quem gosta de se aventurar sozinho pela natureza podem se deparar com aves típicas da região e outros animais. Para se ter ideia, mais de 250 aves já foram registradas, cativante para os passarinheiros de plantão fazerem seus cliques, além de mais de 30 mamíferos observados!

Além disso, também tem o passeio a cavalo, pra quem quer uma interação ainda maior com a natureza. Seja para crianças ou adultos, a atividade é relaxante e completamente segura, e você ainda pode ouvir histórias da região e da cultura pantaneira.

Isso que é sintonia com natureza! E que acontece muito por ser o único atrativo de ecoturismo em Bonito que possui passeio de trilha e cachoeiras dentro de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).

2- É totalmente seguro

Segurança é palavra-chave no ecoturismo e está presente em toda nossa operação, em todas atividades. Não à toa, a Estância Mimosa foi o primeiro atrativo de Bonito-MS que recebeu uma certificação ISO na modalidade caminhada e banho de cachoeiras, a Norma NBR ISO 21.101.

Ela basicamente estabelece os requisitos mínimos para prestar serviços e promover experiências de turismo de aventura. Isso significa que você pode se aventurar e curtir a natureza tranquilamente!

3- Experiência enriquecedora com guias capacitados

A condução dos grupos de turistas fica por conta da nossa equipe de guias capacitados, que além de deixarem sua experiência mais segura, a torna ainda mais enriquecedora. Como são locais e conhecem muito bem a região, passam muitas informações, desde a geografia local e cultura, até sobre a fauna e flora encontradas na fazenda.

Além disso, eles trabalham também para difundir a sensibilização ambiental, de como se portar numa trilha e ser um turista consciente. Porque ecoturismo também é conhecimento, certo?

4- Dá para fazer em um dia apenas

Quem está com a agenda apertada e tem poucos dias para fazer ecoturismo em Bonito, não precisa se preocupar com o tempo. A Estância Mimosa é um passeio de um dia, então dá pra encaixar na sua programação tranquilamente.

A duração do passeio de ecoturismo é de aproximadamente 4 horas, dependendo do ritmo do grupo e do tempo de permanência nas cachoeiras, piscinas naturais e decks de contemplação.

Passeio de trilha e banho de cachoeira pela manhã. Na sequência um delicioso almoço típico da roça e uma cavalgada ao pôr do sol, que tal? Tudo isso você pode fazer em apenas um dia, que com certeza será inesquecível, cheio de experiências!

5- É bom o ano todo!

Tem muito destino e atrativo de ecoturismo em Bonito e no Brasil inteiro que tem as melhores épocas para visitar, né? E é aí que a Estância Mimosa também é diferente, porque aqui você pode vir o ano inteiro, em qualquer época. Tem tanta coisa gostosa pra fazer que você vai se arrepender só se não vier mesmo.

6- Tem comida da roça e um redário pra você relaxar

Depois de uma manhã cheia de atividades em meio à natureza, é mais do que merecido comer bem e de forma saudável, não é mesmo? Aqui você encontra um almoço típico da roça, com receitas regionais e folhas e verduras vindas diretamente da fazenda, da nossa horta orgânica para o seu prato.

Depois, uma degustação de doces também da fazenda, com destaque para o nosso doce de leite cremoso e delicioso, completamente artesanal. Que delícia! Ah…após tudo isso, nada melhor do que deitar na rede e tirar uma pestana pra relaxar e guardar na mente cada experiência, hein?!

Há motivos de sobra para você conhecer a Estância Mimosa, em qualquer dia, quando vier fazer ecoturismo em Bonito, seja sozinho, com os amigos, namorado(a) ou em família. A fazenda está localizada está a 24 km do centro de Bonito, sendo 18 km asfaltado pela estrada MS 178 e 6 km de estrada interna cascalhada.

Turismo em Bonito: no Dia Nacional das RPPNs, saiba sua importância e como ter uma experiência diferente

Você sabia que a Estância Mimosa Ecoturismo é o único atrativo de turismo em Bonito-MS que oferece experiências em trilhas e cachoeiras dentro de uma RPPN? Mas, antes disso, você sabe o que é uma RPPN? As Reservas Particulares do Patrimônio Natural são uma categoria de Unidade de Conservação que tem o objetivo de conservar e preservar a biodiversidade de um determinado local, região ou bioma. Por ser comemorado hoje, 31/01, o Dia Nacional das RPPNs, vamos falar um pouco da sua importância e como se deu o processo em nosso atrativo.

Por que a experiência numa RPPN é diferente para o turista?

Como é permitido apenas o uso sustentável de uma RPPN, são poucas as atividades que podem acontecer dentro delas. Mas para o turista que vai em busca de uma experiência genuína e única, isso é um grande diferencial.

Turismo em Bonito: RPPN da Mimosa promove conexão com a natureza nas águas de uma das 10 cachoeiras

A Estância Mimosa Ecoturismo é o único atrativo de turismo em Bonito-MS que oferece trilhas e cachoeiras dentro de uma RPPN. Aqui é possível desfrutar de um contato direto com a natureza preservada: caminhar por quase 3km de trilhas em meio à floresta, avistar mais de 250 espécies de aves ou se deparar com uma das 32 espécies de mamíferos catalogados. Incrível, não é mesmo?

O ecoturismo através da visitação em pequenos grupos acompanhados por um guia capacitado e especialista na RPPN da Mimosa busca conectar os visitantes à natureza. Isso por si só já promove a conduta consciente em ambientes naturais por meio da prática da atividade turística de baixo impacto ambiental.

“Além de se divertir e relaxar, essa experiência também desperta uma consciência ambiental de uma conduta consciente, mostrando que estamos todos interligados ao meio natural de muito mais formas do que imaginamos”, comenta Luiza Coelho, diretora de sustentabilidade do Grupo Rio da Prata.

Declaração de amor à natureza

Tudo começou ainda em 1998, quando a fazenda foi adquirida, e os proprietários já consideravam a hipótese de transformar a Estância Mimosa Ecoturismo numa RPPN. O fato foi oficializado em 2013 – 65% da fazenda foi transformada numa RPPN, ou pouco mais de 271 hectares.

“Isso foi por conta da vocação natural da área, de grande beleza cênica, relevo acidentado e frágil, coberta por florestas e com o Rio Mimoso, que já pedia essa proteção. Então, o ecoturismo surgiu como uma aptidão nativa, como uma atividade com potencial de proteção”, explica Luiza.

“Criar uma RPPN é assinar uma declaração de amor à natureza, pois é um ato perpétuo, que não pode mais ser desfeito”, finaliza.

Quais outras ações são realizadas na Estância Mimosa?

Além das atividades de ecoturismo, a Estância Mimosa realiza e apoia iniciativas e projetos de pesquisa científica. Já as ações para conservação ambiental são: monitoramento ambiental e uso responsável de recursos naturais; produção própria de parte dos alimentos; manutenção de trilhas e infraestruturas de visitação turística; proibição de caça e pesca, e cercamento da RPPN para evitar entrada de gado.

Além disso, o atrativo possui equipamentos de combate a incêndio florestal e toda equipe é treinada anualmente em primeiros socorros, combate a incêndio e incêndio florestal.

Explicando a RPPN

É importante saber que as RPPNs foram criadas em 1990 e são a única categoria de Unidade de Conservação (UC) que não possuem recursos do governo. Elas são mantidas integralmente por seus proprietários particulares.

Para conservar e proteger o meio ambiente, uma RPPN pode apenas promover pesquisas turísticas, projetos e iniciativas de educação ambiental e atividades turísticas sustentáveis. Tudo isso dentro, é claro, de um Plano de Manejo bem elaborado e em harmonia com a natureza, sempre!

Porque, uma vez que a transformação da área em RPPN já assegura a sua proteção perpétua, o Plano de Manejo oficializa toda a gestão da área que é toda voltada a prevenção de impactos ambientais e melhoria da qualidade ambiental. E é isso que garante o acesso da atual geração e das futuras a um ambiente natural, com a conservação perpétua da área.